Bonito, Mato Grosso do Sul - 28 de Setembro de 2020
Meio Ambiente

Passeio de flutuação em Jardim inaugura fábrica de biofertilizante; veja o vídeo

Práticas de agricultura sustentável e econômica foram adotadas há muito tempo no Recanto Ecológico Rio da Prata, desde a criação da RPPN Cabeceira do Prata – Reserva Particular do Patrimônio Natural, em 1999 até os dias atuais

Carla Layane
Em 12 de Agosto de 2020 às 07h53
Fábrica de biofertilizante no Recanto Ecológico Rio da Prata. (Divulgação).

O Recanto Ecológico Rio da Prata (Jardim-MS) inaugurou no dia 7 de agosto a fábrica de chá de composto TMT para a produção de biofertilizantes – adubo orgânico líquido que contém organismos e nutrientes que melhoram a saúde das plantas e pastagens.

O uso de biofertilizantes permite a produção de alimentos mais saudáveis, com menor impacto ao meio ambiente; fortalece as plantas e garante maior resistência ao ataque de pragas e doenças; melhora a produtividade das culturas; apresenta menor custo quando comparado aos fertilizantes químicos; é rico em nitrogênio e outros nutrientes (fósforo, potássio, cálcio, etc.) indispensáveis ao solo; melhora a fertilidade do solo por adição de nutrientes; reutiliza matéria-prima da propriedade; contribui para a redução do aquecimento global, entre outras vantagens.

Para construir a fábrica, colaboradores do Recanto Ecológico Rio da Prata visitaram a propriedade de Martin Simeon, em Maracaju (MS), responsável por compartilhar importantes informações. “Agradecemos o Srº Martin que compartilhou conosco as informações sobre como construir e obter o melhor resultado em cada etapa da produção”, diz Teódison Gonçalves, gerente do atrativo.

A construção da fábrica era um sonho antigo de Eduardo Folley Coelho, proprietário da fazenda. “Estou muito feliz. Era um sonho antigo que tinha de produzir e usar o biofertilizante feito no local, subproduto que será aplicado no pomar, no sistema agroflorestal e nas pastagens. A meta é substituir a compra de adubo e utilizar o material fabricado na fazenda”, revela.

Eduardo confessa sua curiosidade com os resultados do uso do produto. “Sigo confiante de que irá funcionar. Fizemos muitas pesquisas e acreditamos que teremos, a longo prazo, resultados satisfatórios, duradouros e sustentáveis”.

Atualmente a propriedade utiliza pó de rocha (fosfato) – fonte para remineralização dos solos em substituição aos fertilizantes tradicionais – e também calcário. A partir de agora o biofertilizante vai contribuir para que as plantas utilizem os nutrientes do pó de rocha.

Para montar a estrutura da fábrica foram utilizadas três caixas d’água de 2.000 mil litros cada, canos e tambores de 200 litros, revestidos com filtros. Nesse local serão inseridos os ingredientes in loco: terra de bambu, húmus e serra pilheira. Na sequência é adicionado o melaço – fonte de energia, e inseridas as farinhas de arroz, de trigo, de mandioca e também a farinha animal (de pena, de sangue, farinha de peixe e farinha de carne e osso). O material produzido na primeira remessa foi utilizado em uma área de 200 hectares.

Bruno Rocha, biólogo do atrativo, revela que a importância da construção dessa fábrica, construída pelo colaborador Cateto, é a biofertilização. “Com isso estamos multiplicando microorganismos que são eficientes ao solo, que fazem a fixação dos nutrientes pela planta e que devolvem toda a qualidade de vida e equilíbrio do ecossistema do solo”.

Ações sustentáveis
Práticas de agricultura sustentável e econômica foram adotadas há muito tempo na fazenda, desde a criação da RPPN Cabeceira do Prata – Reserva Particular do Patrimônio Natural, em 1999 até os dias atuais. Além da fábrica de chá composto e o uso de pó de rocha, está a realização do Curso de Agrofloresta; formação de corredores ecológicos; implantação do sistema de energia solar fotovoltaico; aquisição de um barco solar; convênio com o Centro de Reabilitação de Animais Silvestres – CRAS, de Mato Grosso do Sul, para a soltura de animais na fazenda e, mais recente, o início da criação de abelhas nativas sem ferrão (meliponicultura).

PASSO A PASSO

Teódison e Bruno Rocha compartilham o vídeo com o passo a passo de funcionamento da estrutura com o objetivo de incentivar outras pessoas na construção de fábricas.

Veja abaixo os ingredientes:

Ingredientes in loco: 5kg
Farinha vegetal: 2,5 kg
Farinha animal: 2,5kg
Melaço: 5 litros
Soro de leite: 4 litros
Ligar a estrutura e aguardar 24 horas para aplicar o produto na pastagem.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Últimas notícias em Meio Ambiente
VER TODAS EM MEIO AMBIENTE
Notícias em destaque agora
Política de Conteúdo
O objetivo do Bonito Notícias é divulgar notícias, reportagens, entrevistas, eventos e outros conteúdos variados direcionados ao público de Bonito e demais regiões de Mato Grosso do Sul, assim como para leitores de outras regiões do Brasil e exterior. Para a construção dos textos usamos informações próprias, releases de assessorias de imprensa, internet, revistas, artigos e contribuições do público, imagens próprias e imagens de divulgação. Todas as fontes, créditos, e marcas d'água tanto de textos ou fotos são devidamente creditados. Caso você seja autor e se sinta prejudicado por qualquer foto/imagem ou texto publicado, entre em contato por e-mail e prontamente faremos a remoção.