Bonito, Mato Grosso do Sul - 14 de Maio de 2021
Meio Ambiente

Após denúncias, fazendeiro de Miranda é multado em R$ 7 mil por desmatamento ilegal

Uma denúncia de trabalho escravo também está sendo apurada pelo MPT/MS.

Com informações de MidiaMax - Ketlen da Silva
Em 28 de Abril de 2021 às 14h21
(Divulgação/PMA)

Na última semana, um fazendeiro de Miranda foi autuado e multado por desmatamento ilegal, onde foram identificados 07 hectares desmatados sem a devida licença ambiental.

De acordo com a Polícia Militar Ambiental, inicialmente ocorreram denúncias sobre possível trabalho análogo à escravidão na fazenda, além do desmatamento. Uma equipe foi ao local e não identificou, naquele momento, o trabalho escravo, mas apurou que havia uma área desmatada ilegalmente.

Pelo crime, o fazendeiro foi multado em R$ 7 mil e o Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul (MPMS) ainda pode propor um TAC (Termo de Ajustamento de Conduta) para reparação do dano.

A reportagem do MidiaMax apurou que o fazendeiro em questão seria um ex-prefeito de Miranda. Apesar da não identificação do trabalho escravo naquela situação, o caso já teria sido denunciado por testemunhas ao Ministério Público do Trabalho de Mato Grosso do Sul (MPT/MS), que apura os fatos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
Últimas notícias em Meio Ambiente
VER TODAS EM MEIO AMBIENTE
Notícias em destaque agora
Política de Conteúdo
O objetivo do Bonito Notícias é divulgar notícias, reportagens, entrevistas, eventos e outros conteúdos variados direcionados ao público de Bonito e demais regiões de Mato Grosso do Sul, assim como para leitores de outras regiões do Brasil e exterior. Para a construção dos textos usamos informações próprias, releases de assessorias de imprensa, internet, revistas, artigos e contribuições do público, imagens próprias e imagens de divulgação. Todas as fontes, créditos, e marcas d'água tanto de textos ou fotos são devidamente creditados. Caso você seja autor e se sinta prejudicado por qualquer foto/imagem ou texto publicado, entre em contato por e-mail e prontamente faremos a remoção.